Tema da Redação do ENEM repercute no curso de Libras para servidores municipais

A menos de um mês da conclusão do nível um, as duas turmas de Libras (Língua Brasileira de Sinais) para professores e servidores municipais tiveram um assunto e tanto nas aulas desta semana. O tema da Redação do ENEM 2017 abordou os “desafios para a formação educacional de surdos no Brasil”.

O professor Daniel Berbigier, que leciona o curso, exaltou a importância do debate:

“É muito bom saber que mais de seis milhões de pessoas, a maioria jovens, pelo menos por algumas horas, pararam para refletir e escrever sobre esse tema. Eu e a Cláudia Martins, minha esposa, somos intérpretes há 14 anos e estamos vendo avanços significativos no debate pela inclusão da comunidade surda”, comentou.

Aluna do curso de Libras da Prefeitura, Cátia Cilene Oliveira Salati, que é professora de Geografia e Artes das EMEFs José Carlos Ferreira e Rio Grande do Sul, fez a prova do ENEM e foi surpreendida pelo tema:

“Ao abrir a prova, confesso que tive uma grata surpresa, fiquei tão feliz, que não conseguia fazê-la, pois vieram muitas ideias que poderiam ser abordadas, acabaria rendendo um livro. Então, respirei fundo e, após realizar as questões objetivas, escrevi a dissertação. A verdadeira inclusão só se concretizará se, independente de onde estejam, os portadores de surdez possam expressar seus anseios e sentimentos, sendo entendidos e correspondidos. O caminho ideal seria a implantação do ensino de Libras desde os anos iniciais da Educação Básica”, contou.

Para a secretária de Educação, Virgínia Guimarães, o curso tem sido um passo em favor da inclusão.

“Nosso compromisso é com o cidadão guaibense, buscando sempre atendê-lo dentro de suas possibilidades e necessidades. Por isso, desde junho, a Prefeitura mantém o curso para aperfeiçoar os serviços. Na turma de professores, há pelo menos um integrante de cada escola da nossa rede. No próximo semestre, vamos dar continuidade partindo para o módulo dois, além de estarmos avaliando a possibilidade de uma nova turma de módulo um, em função do interesse de mais pessoas”, adiantou.

A Lei Federal 10.432/02 reconhece a Língua Brasileira de Sinais em todo o território nacional como meio legal de comunicação, enquanto que a número 12.319/10 regulamenta a profissão de intérprete de Libras.