Prefeitura entrega mais de 300 itens para o Corpo de Bombeiros de Guaíba

O Corpo de Bombeiros de Guaíba recebeu novos itens fundamentais para a atuação no município. O prefeito José Sperotto e a vice-prefeita Cleusa Silveira entregaram 14 materiais, entre uniformes e equipamentos, totalizando 309 itens que vão fazer a diferença nas emergências.

As aquisições totalizaram R$ 50.417,34 referentes aos recursos do Fundo Municipal de Reequipamento do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar do Rio Grande do Sul (Funrebom). Participaram da entrega, o comandante do Corpo de Bombeiros de Guaíba, sargento Henrique, acompanhado do sargento Rubens e do soldado Moscope.

“Parecem coisas simples, mas que fazem toda a diferença na hora de um salvamento. Recentemente, por exemplo, tivemos o incêndio com a escola Livramento e notamos que, muitas vezes, uma marreta dessas pode evitar tanto prejuízos materiais como também preservar vidas, que é o mais importante”, ressaltou Sperotto.

A lista de materiais é composta por:

36 pares de luvas de bombeiro
2 alavancas expansoras
4 alavancas forçadas
4 marretas oitavadas
20 lanternas modelo 4aa
20 adaptadores metálicos
2 mochilas flexíveis
1 soprador
20 mangueiras de incêndio tipo 4
50 luvas de procedimento não-cirúrgico
15 blusões de lã
15 casacos tipo parca
60 camisetas gola pólo
60 camisetas gola olímpica

Funrebom

Conforme prevê a Lei municipal 1.446/1999, o Funrebom tem a finalidade de prover recursos para reequipamento, aquisição de materiais, manutenção das viaturas, realização de estudos e vistorias em projetos de prevenção a incêndio, bem como a construção e conservação das instalações dos bombeiros em Guaíba. O fundo é vinculado ao gabinete do prefeito e as receitas são provenientes da aplicação da Lei Estadual de Prevenção contra Incêndios; de auxílios, subvenções, doações e créditos adicionais ao Corpo de Bombeiros de Guaíba; de recursos decorrentes de alienação de materiais e/ou bens e equipamentos inservíveis, adquiridos pelo próprio fundo; de juros bancários e rendas de capital proveniente de imobilização ou aplicações financeiras do FUNREBOM; e de multas aplicadas em edificações ou empresas que não apresentarem os sistemas de segurança contra incêndios.

Fotos: Gustavo Gossen