CMPC apoia o IV Curso de Formação de Promotoras Legais Populares de Guaíba

Iniciativa da THEMIS– Gênero Justiça e Direitos Humanos espera formar 25 alunas, que contarão com mais de 200 almoços fornecidos pela companhia entre junho e agosto

A CMPC está apoiando  a iniciativa da THEMIS – Gênero Justiça e Direitos Humanos, organização sem fins lucrativos, na quarta edição do curso de formação de Promotoras Legais Populares (PLPs) em Guaíba. A parceria é resultado da política de atuação social da companhia, que passa a ganhar ainda mais força com o Conecta CMPC, uma iniciativa de atuação social única para a cidade, que engloba eventos e ações de transformação urbana de alto impacto.

“O Conecta tem como objetivo nos aproximar das comunidades, para construirmos em conjunto, ou seja, cocriarmos ações que deixem um legado positivo para as pessoas e instituições vizinhas. Queremos verdadeiramente nos conectar. Se é importante para Guaíba, é importante para a CMPC”, afirma o diretor-geral, Mauricio Harger. “Temos muito orgulho em poder contribuir no processo de formação das Promotoras Legais Populares de Guaíba. O município só tem a ganhar com o trabalho dessas voluntárias, sempre dispostas a espalhar o bem por onde passam”, emendou Harger.

Uma das alunas desta edição do curso de PLPs, também elogiou a parceria. “O curso de PLP está sendo uma experiência fenomenal, pois recebo um aprendizado de qualidade de mulheres fortes e inspiradoras. Toda aula tem tido um assunto atual e diferente, além de muito importantes para a sociedade em que vivemos. Desde que entrei no curso, me vejo atuando em conjunto com as minhas colegas para melhorar a qualidade de vida e fornecer o todo o apoio para as mulheres de Guaíba. E tudo isso é possível graças ao apoio da CMPC”, enfatiza Larrisa Espelocin Justen.

 Os cursos de formação das Promotoras Legais Populares (PLPs) são ministrados por especialistas voluntários de diversas áreas com o intuito de capacitar as lideranças comunitárias  com noções básicas de Direito, direitos humanos das mulheres, organização do Estado e do Poder Judiciário, dentre outras temáticas, conforme o contexto do bairro ou região na qual estão inseridas. Após uma formação de 80 horas/aula, as PLPs atuam voluntariamente em suas comunidades na defesa (orientação e triagem de demandas de violação de direitos), na prevenção de violações (educação sociocomunitária em mutirões e oficinas)  e na promoção de direitos (participação e representação em conselhos, conferências, comissões e fóruns).

“Este curso me proporcionou um conhecimento maior da luta feminina por seus direitos e como podemos garantir e lutar pelo direito das nossas irmãs. E a CMPC proporcionar isso pra comunidade é de extrema importância para garantir formações desse tipo para a comunidade”, avalia Aryel Borges, outra aluna desta edição.

Marina Paz Toledo, aluna formada em outra edição, que desta vez participa como coordenadora do curso ao lado da THEMIS, ressalta a importância do apoio da companhia: “Foi somente com o apoio da CMPC e outras empresas de Guaíba, além da OAB, que conseguimos realizar o quarto curso de Promotoras Legais Populares, após quinze anos de pausa. Esta formação, que deveria durar seis  meses, graças à CMPC, levará dois meses e meio. Além disso, temos alunas indicadas pela própria companhia também”, destaca.

Sobre a CMPC

A planta de Guaíba da CMPC faz parte do grupo chileno CMPC (Compañia Manufacturera de Papeles y Cartones) e produz celulose branqueada de eucalipto e papel para impressão e escrita. A CMPC é a maior fabricante gaúcha de celulose branqueada de fibra curta de eucalipto, com 90% da produção destinada à exportação, especialmente para a fabricação de papéis de higiene pessoal (tissue), entre dezenas de outros produtos de alto valor agregado. Este ano a empresa comemora 10 anos de atuação no Brasil. O grupo CMPC conta com mais de 17 mil colaboradores em 8 países. Outras informações no site http://www.cmpc.com.br

Este slideshow necessita de JavaScript.